blog image

Apresentação

        O Grupo de Pesquisa sobre Práticas Socioculturais e Educação Matemática (GPSEM) vincula-se à Universidade Federal do Pará (UFPA), por meio de estudos desenvolvidos no âmbito das linhas de pesquisa do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemáticas do Instituto de Educação Matemática e Científica, da referida Universidade.
        Criado em 2017 e cadastrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq, o GPSEM investiga questões relacionadas às práticas socioculturais e suas relações inter-transdisciplinares com as Ciências da Educação, a Antropologia, a História Cultural e a História da Matemática em suas perspectivas epistemológicas, didáticas e patrimoniais.
        Práticas socioculturais podem ser compreendidas como os saberes e fazeres de grupos sociais no interior de uma cultura específica. São desenvolvidas na busca de soluções para problemas singulares que surgem na vida das diversas comunidades humanas. Elas contribuem para vencer os desafios cotidianamente enfrentados pelas sociedades, na superação de suas dificuldades e conforme as necessidades de cada grupo. Tais práticas podem ser inovadoras ou tradicionais, conforme os interesses individuais ou coletivos, e de acordo com as características culturais do lugar onde são desenvolvidas (FARIAS e MENDES, 2014)1.
        Importante destacar que as pesquisas sobre as práticas socioculturais e suas conexões com a Educação, em especial, a matemática e as ciências, não debutaram em 2017, ano de criação do GPSEM. Publicações anteriores sobre o tema atestam que a inspiração para o nome do Grupo remota aos anos de 1990, por ocasião do ingresso dos coordenadores na formação continuada, tendo se desdobrado ao longo dessas três últimas décadas (1990-2019) em fecundos projetos de pesquisa, ações de ensino e extensão que, redundaram em edições de revistas e publicações de livros, com relevo para as Coleções científicas História da Matemática para Professores e Contextos da Ciência, criadas e coordenadas por Carlos Aldemir Farias e Iran Abreu Mendes, na Editora Livraria da Física, de São Paulo, há mais de uma década.
        Diante desse contexto, os membros do grupo focam as variadas manifestações passíveis de exploração na história e na cultura, em prol do desenvolvimento de ações de pesquisa e formação para a educação e para o ensino de Ciências e Matemática, uma vez que o escopo principal do Grupo é assinalar contribuições à formação de professores.
        As investigações do GPSEM operam a partir de duas linhas de pesquisa. A primeira, História da Matemática em três dimensões, foca estudos da vida e da obra de matemáticos e educadores matemáticos, foca também estudos acerca do desenvolvimento histórico de uma área ou subárea da Matemática, bem como o uso da História da Matemática como recurso didático na sala de aula e, por fim, pesquisas sobre a História da Educação Matemática brasileira.
        A segunda linha, Práticas socioculturais e suas relações inter-transdisciplinares com as Ciências da Educação, centra-se nos estudos das práticas socioculturais e seus desdobramentos para a reorientação curricular na escola, incluindo elementos das práticas investigadas. Dirige sua atenção ainda aos estudos sobre as relações entre ciências, matemática, cultura e cognição e, por fim, aos estudos sobre práticas socioculturais e suas implicações na formação de professores.
        Os projetos de pesquisa dos pós-graduandos do GPSEM, em nível de Mestrado e Doutorado, são elaborados a partir dos temas aglutinadores de estudos científicos que se fundamentam nas duas linhas de pesquisa do Grupo, em sintonia com os projetos de pesquisas dos seus professores orientadores. As pesquisas que não se engajam diretamente nas linhas do GPSEM são ajustadas de modo a se incorporarem aos projetos dos professores para um melhor desenvolvimento. Tal medida visa atender as exigências formais da área de Educação em Ciências e Matemática.